Jerome Lambert (Montblanc): “Vamos continuar a apresentar fantásticos relógios-complicações”

Jerome Lambert, Montblanc

Escritores ou presidentes, Papas, ou artistas conceituados, as canetas Montblanc passaram (e passam) pelas mais variadas mãos, desde que foi fundada em 1906. Hoje, o universo desta marca estende-se com sucesso aos relógios e à marroquinaria, oferecendo uma gama de produtos que assenta na qualidade, design, saber-fazer e tradição ímpar. Jerome Lambert, 12 anos depois de liderar a Jaeger LeCoultre, assumiu (em Julho deste ano) o cargo de CEO da Montlanc. Vejamos o que pensa do presente e do futuro da sua marca:

CHRONOS do tempo – Que olhar/imagem tinha da Montblanc, antes de ser nomeado CEO da marca?

Jerome Lambert – Como a Montblanc faz parte do Grupo Richemont eu já conhecia muito sobre a Montblanc. Quando cheguei, percebi que as pessoas na Montblanc estão todas impulsionadas pela paixão pela arte do saber-fazer e uma busca constante pela inovação que construiu toda a legitimidade da marca nos campos em que trabalha. Estou especialmente impressionado com o nível da arte do saber-fazer e com a experiência da fábrica de instrumentos de escrita em Hamburgo, dos relógios na Suíça, e com os artigos de couro produzidos na Itália. Isso é muito reconfortante para todos os futuros planos que temos, e estou ansioso para os próximos meses.

Cdt – A Jaeger LeCoultre consigo aos comandos passou a ser uma marca de alta relojoaria de referência; tenciona direcionar a Montblanc no mesmo sentido?

Jerome Lambert – Já existe a percepção de que a Montblanc é uma marca de Haute Horlogerie pelos amantes de relógios e pelos conhecedores das máquinas do tempo, especialmente com a Coleção Villeret 1858. A linha Rieussec também é percebida como um modelo icónico, e o projeto TimeWalker é único e muito distintivo. Para a nova coleção Heritage Meisterstück que vamos apresentar no SIHH 2014, também vemos esse potencial. É uma nova linha de assinatura para os relógios Montblanc, que tem todas as características de um verdadeiro Montblanc Meisterstück: o design intemporal e sofisticado, e perfeita funcionalidade de um relógio “3 hands”, no mais alto nível de complicações e de realização refinada. Quando falamos do futuro desenvolvimento da Montblanc, eu vejo-me mais como um catalisador. Nós na Montblanc, continuaremos firmes na construção da nossa “Maison”, sempre ser fiel à nossa herança e ao espírito de inovação.

Cdt – A linha Villeret de produtos manufacturados, vai manter-se como diferenciação entre a Montblanc?

Jerome Lambert – A linha Villeret é Montblanc. Com os seus 156 anos de história ininterrupta na cuidada produção, refinada e tradicional, é algo muito exclusivo que raramente se pode encontrar em qualquer outro lugar na indústria relojoeira, e que precisa ser salvaguardada e desenvolvida. Vamos continuar a construir/produzir com este património, e desenvolver a Coleção Villeret com peças excepcionais, tais como o ExoTourbillon Rattrapante, que também será apresentado no próximo salão de Genebra (SIHH). Além disso, vamos também aproveitar a beleza refinada dos movimentos Villeret nas nossas outras coleções, como o Monopusher Chronograph, que será lançado na linha Meisterstück Heritage em 2014. Com os Montblanc Villeret nós introduzimos inovações muito interessantes e inovadoras num período de tempo muito curto. Criações como o Montblanc Timewriter I Metamorphosis, o Montblanc ExoTourbillon Chronographe, o Timewriter II Chronographe Bi- Fréquence 1000, ou o novo ExoTourbillon Rattrapante, têm despertado muita atenção entre a Imprensa e colecionadores que sublinham a competência da Montblanc no campo das altas complicações. Assim os Montblanc Villeret vão manter sempre a sua singularidade e, ao mesmo tempo, continuar a complementar a nossa competência na produção de relógios na Montblanc Montres, em Le Locle.

Cdt – É de esperar que a Montblanc continue a apresentar – como até aqui anualmente – altas complicações relojoeiras?

Jerome Lambert – Certamente. Continuaremos a expandir ainda mais a nossa fábrica. Hoje já temos cerca de 200 funcionários especializados em relojoaria a trabalhar nas nossas duas fábricas em Le Locle e Villeret. No futuro, vamos investir ainda mais sobre o profundo “know-how” da Villeret, por um lado, no desenvolvimento da nossa qualidade de produção artesanal e tradicional, e por outro, na grande competência em Le Locle, como fabricantes e como laboratório de testes de qualidade. Ambas as fábricas se complementam e são ambas o pilar importante da competência relojoeira da Montblanc. Então, sim, você pode esperar que vamos continuar a apresentar anualmente fantásticos relógios-complicações, concebidos e produzidos nesta combinação muito especial.

Cdt – Como vê a Montblanc (em termos relojoeiros) nos próximos 10 anos?

Jerome Lambert – Vamos prosseguir a nossa estratégia de partilha da nossa paixão pela alta relojoaria. Para isso, vamos continuar a surpreender com novas complicações, introduzindo relógios refinados com novas funções interessantes, na faixa de preços dos 2 aos 5000 Euros. Também vamos continuar a introduzir e a aplicar a inovação, aliada à extrema tradição na nossa coleção Montblanc Villeret 1858.

Cdt – A partir de agora, passa a ter outras prioridades na sua gestão que vão para além da relojoaira; como vê o desenvolvimento da linha dos “instrumentos de escrita”?

Jerome Lambert – A Montblanc é líder indiscutível no negócio dos instrumentos de escrita, há mais de um século. Quanto ao sector do relógios, a Montblanc tem experimentado um crescimento impressionante nos últimos anos; apesar da incerteza do mercado, a Montblanc está entre as 20 melhores marcas relojoeiras suíças em termos de vendas. Há ainda um enorme potencial para todas as categorias de produtos da Montblanc, impulsionados por uma cada vez maior especialização nestas áreas. A nossa reputação de líder para a criação dos melhores instrumentos de escrita do Mundo, decorre da nossa dedicação à manufactura tradicional e uma busca quase obsessiva pela qualidade e perfeição técnica. O mercado de instrumentos de escrita permite grandes oportunidades para crescer ainda mais, por exemplo, com inovações em termos de funcionalidade, materiais e design. E a Montblanc está perfeitamente preparada para superar esta desafiadora tarefa.

Cdt – A variada gama de produtos da Montblanc vai manter-se? Vai alargar-se a outro tipo de produtos? Marroquinaria, óptica, perfumes, são áreas de actividade a manter? Quanto representam (em termos percentuais) no seu volume de negócios?

Jerome Lambert – Nós não falamos sobre volumes de negócios, mas o que eu posso dizer é que todas as categorias de produtos têm as mesmas prioridades e temos planos para nos tornarmos líderes mundiais em todos os campos. Nós temos inúmeras faculdades artesanais, na produção, na arte de bem-fazer, temos ideias e talentos, que vamos reunir na Montblanc para conseguirmos atingir o sucesso em todas as categorias de produtos que trabalhamos.

Cdt – A joalharia, que tanto sucesso tem alcançado, vai ter uma aposta reforçada?

Jerome Lambert – As jóias Montblanc são um pilar importante na nossa estratégia de diversificação no modelo de negócio estabelecido. Nós desenvolvemos a marca com muito sucesso nesta categoria, pelo que agora podemos fazer uso e retirar o benefício do forte potencial que temos construído ao longo dos últimos anos. Vamo-nos concentrar em jóias masculinas e no alinhamento da nossa estratégia global para criar “companheiros de vida” e desenvolver novas e belas jóias de senhora, assim como relógios para a mulher Montblanc, que é uma personalidade independente, com um forte sentido de estilo e bom gosto para peças bonitas e criativas.

Cdt – A crise que assola (em particular) a Europa pode influenciar a sua estratégia de desenvolvimento de produtos? É de esperar que tenha uma particular atenção ao Oriente (China em especial)?

Jerome Lambert – A Europa é e continuará a ser um mercado importante para nós e vamos continuar a ter um forte foco nas nossas áreas de negócios nos mercados europeus. No entanto, como a Montblanc é uma marca global, na minha opinião, temos de ver a economia mundial nos anos antes de 2008 e depois de 2008. Após 2008, a economia mundial tem visto um forte desenvolvimento no hemisfério Sul, não só no Oriente e Médio-Oriente, mas em particular na zona do globo da Indonésia ao Chile. Este é o "novo mundo" em termos de negócios, com um futuro e forte potencial de crescimento, e a Montblanc precisa de estar presente nesses mercados, como por exemplo o Vietnam, Peru, Uruguai, Marrocos, África do Sul, Tailândia, para mencionar apenas alguns. A Montblanc beneficia de uma carteira de produtos diversificada que nos permite abrir boutiques Montblanc – com pelo menos uma das nossas categorias desses produtos e com certeza vai ser bem sucedida nesses mercados.