Ao volante – Mercedes GLC 250D 4Matic Coupé – O outro “ponto G”

Mercedes GLC

Se o título o provocou, saiba que estamos a falar de um outro “ponto G”, ou seja, referimo-nos ao novo Mercedes GLC 250D 4Matic Coupé, o mais recente SUV da marca alemã que, com este modelo, também se relaciona com o prazer…o prazer da condução. Neste caso, o “G” deriva do Geländewagen (ou veículo todo-o-terreno, em alemão) e é capaz de proporcionar a quem o usa uma dose dupla de satisfação: dentro e fora de estrada.

Este “ponto G” da Mercedes já tem história e tradição. Em 2008, o GLK deu origem a uma linhagem de SUV que em 2015, deu origem a uma nova linha de produtos, desta feita o GLC, na sequência do GLE de 2011. Este GLC já não é o “SUV mal “paginado” como era o GLK”, com muitos diziam à época e, na versão Coupé, o GLC impõe-se pela estética e dificilmente se escapa de olhares curiosos à sua passagem.    

Este SUV Coupé tem um ar desportivo que encanta e até “custa” fazer dele um todo-o-terreno, atravessar montes e vales, deixando de lado o asfalto para o qual parece ter sido exclusivamente concebido. Desengane-se quem pensa que este GLC não consegue andar pela maioria das aventuras em que se atreve o mais conhecido “G”. Não fora a altura ao solo, e este GLC Coupé perseguiria o robusto “G” onde quer que fosse.

Com dois tipos de suspensão como opção: uma de amortecimento variável (Dynamic Body Control) e a pneumática (Air Body Control), em ambas se pode optar pelos níveis Confort, Sport e Sport+, ou seja, facilmente se esquece que está ao volante de um SUV, mais parecendo que conduz um convencional automóvel.

Mercedes GLC
Mercedes GLC

Saiba também que este GLC Coupé conta com tracção integral 4Matic, associada à caixa automática de 9 velocidades 9G-Tronic ou, e na variante híbrida, a caixa de sete velocidades 7G-Tronic , logo, este é um “automóvel mais alto”….

A versão Diesel de 204 CV, o GLC 250 d 4Matic Coupé conta com um preço base de aproximadamente 61 mil euros porém, o que testamos ultrapassava os 80 mil euros, face ao nível de equipamento e de extras que tinha equipado. Qualidade de construção não lhe falta; os materiais empregues no seu interior justificam um preço elevado, mas a qualidade paga-se…

Se em estrada mais parece estar ao volante de um “Classe E”, quando se atreve a rolar em todo-o-terreno, fica-se com a sensação de estar ao volante de um “G” mais confortável e luxuoso, tendo apenas em conta a sua altura ao solo que poderá limitar algumas “aventuras” mais radicais…

A Mercedes aposta assim nos SUV com quatro modelos (GLE e GLE Coupé e GLC e GLC Coupé) e o difícil mesmo é escolher. Só mesmo o tamanho (e o preço) pode fazer a diferença na hora da decisão de compra. Há uma garantia, com qualquer um destes “G”, o prazer está garantido…