A Montblanc, e os seus 110 anos: “Era uma vez…”

A Montblanc, e os seus 110 anos: “Era uma vez…”

Algumas das mais belas histórias, contam-se com o inevitável: “Era uma vez…” Os 110 anos da Montblanc, não fogem a esta regra e escrevem-se da mesma forma. Tudo começou em 1906, qundo o engenheiro August Eberstein e o comerciante Alfred Nehemias, de regresso de uma viagem pela América, e encantados com a nova caneta-tinteiro que então surgia no mercado, decidiram fundar a Simplo Filler Pen Company, associando-se também a Noel Voss, dono de uma papelaria em Berlim, na Alemanha. Tinha sido dado o primeiro passo para o que viria a ser a Montblanc que hoje conhecemos.

O objectivo desta união era criar uma conceber e produzir a melhjor caneta do Mundo, que não vazasse tinta; irrepreensível. Assim nasceu a colecção “Rouge et Noir”, três anos mais tarde e depois de muitos e apurados testes de eficiência para este novo instrumento de escrita. Um ano depois (1910), adoptam como marca a designação”Montblanc”, nome que se manteve até aos dias de hoje.

Nova colecção, e uma nova designação acontecem no ano em que nasce Akira Kurosawa e Madrer Teresa de Calcutá. A escolha do nome Montblanc refere-se à montanha mais elevada da Europa (com o mesmo nome – Mont Blanc) e passa a estar presente em todos os produtos produzidos por este trio de empreendedores.

Três anos depois, a imagem da neve no pico do Mont Blanc (com 4.810 metros) dá origem ao símbolo da marca: a estrela de seis pontas que hoje todos associam à Montblanc. Este símbolo pretende traduzir a qualidade, o design e o estilo de vida da marca; o topo, o pico máximo da qualidade.

A exigência que colocavam no fabrico dos seus produtos rapidamente se traduziu num sucesso de vendas e no reconhecimento da marca como produtora de instrumentos de escrita de elevadíssima qualidade. A fama estendia-se por toda a Europa e em 1924 a Montblanc lança da caneta-tinteiro Meisterstück (obra de mestre, em alemão), objecto de escrita e de desejo que se mantém nos catálogos da marca até aos dias de hoje; ou seja, passados 85 anos, a Meisterstück é também um emblema da marca.

Com aparos de ouro de 18 quilates – produzidos à mão – ou com a incrustação de metais preciosos, a Meisterstück dá também origem a múltiplas (e muito procuradas por colecionadores) edições limitadas. É também dessa época, que a empresa percebe a importância de oferecer produtos que fossem um investimento e partir daí, lança a garantia permanente, “pormenor” que impulsiona as vendas dos produtos e garante a eternidade da qualidade das peças que produz. No final de década de 20, do século passado, a marca já estava presente em cerca de 60 países, até com lojas próprias… Hoje há mais de 360 lojas em cerca de 90 países. Hamburgo (1919), então a sede desta empresa que se mudara de Berlim, foi a primeira cidade a ter uma loja da marca, à qual se lhe seguiram Berlim, Leipzig, Breslau, Hanover e Bremen.

 

Saiba mais na CHRONOS do tempo Nº 34 (Já nas bancas) 

Partilhe este artigo

publicidade